Início Saúde Campanha de vacinação contra o vírus influenza termina dia 31 de maio

Campanha de vacinação contra o vírus influenza termina dia 31 de maio

965
0
Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF

Até agora, 73% do público-alvo foi vacinado; população deve procurar as UBS

A campanha de vacinação contra a influenza está chegando ao final e, até o momento, 572.952 pessoas dos grupos prioritários, tanto na rede pública como na rede privada, foram vacinados, o que corresponde a uma cobertura total de 72,6% do público-alvo no Distrito Federal. A meta é imunizar 778.627 pessoas, o que equivale a 90% da população que se enquadra nas regras estabelecidas pelo Ministério da Saúde.

A imunização contra o vírus influenza vai até o dia 31 de maio e se destina a crianças de seis meses a menores de seis anos de idade, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, idosos, professores, profissionais da saúde, população de encarcerados, portadores de doenças crônicas, indígenas, e ainda bombeiros, policiais civis e militares da ativa. A vacina se destina, também, aos adolescentes e jovens com idade entre 12 e 21 anos em medida socioeducativa.

SALAS DE VACINA – Ao longo da campanha, 133 salas de vacina estão abertas para a população no Distrito Federal.

A vacina preparada para 2019 teve alteração em duas das três cepas que a compõem, e protege contra os três subtipos do vírus da gripe, o H1N1, o H3N2 e influenza B, que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com indicação da Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com a área técnica da Secretaria de Saúde, a vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença.

A Secretaria de Saúde alerta que a imunização é uma das medidas mais efetivas para a prevenção da gripe grave e suas complicações. As vacinas utilizadas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), durante a campanha, são constituídas por vírus inativados, fracionados e purificados. Portanto, são totalmente seguras e não causam a doença. 

Josiane Canterle e Luciene de Assis, da Agência Saúde